Pinacoteca tem programação especial às quintas.

06/08/2013 04:57

Programação Agosto 2013 | Pinacoteca de São Paulo | Estação Luz do Metrô Tel. 55 11 3324 1000

UM PERCURSO HISTÓRICO DA GRAVURA BRASILEIRA. Com Frederico Morais, critico e historiador de arte.

Ciclo de palestra no âmbito da mostra Gravura Brasileira no Acervo da Pinacoteca de São Paulo - 100 anos de história, em cartaz na Estação Pinacoteca. A palestra vai traçar um percurso da gravura brasileira tendo como ponto de partida uma análise da obra dos artistas inaugurais para a gravura moderna no Brasil: Oswald Goeldi, Lívio Abramo e Axl Leskoschek. As gerações posteriores, de artistas como Fayga Ostrower, Marcelo Grassmann, Samico, Maria Bonomi, Anna Letycia, Carlos Martins, Rubem Grilo, Dionísio Del Santo e Lotos Lobo, entre outros, formada em grande parte por esses três mestres, e o desenvolvimento da gravura, com iniciativas como o Clube da Gravura de Porto Alegre (xilogravura), o Ateliê Livre de Recife, a Oficina Guaianases de Olinda e a Casa Litográfica de Belo Horizonte (Litografia), também serão abordados.

Antes da palestra visite a mostra Gravura Brasileira no Acervo da Pinacoteca de São Paulo - 100 anos de história, com obras 105 de artistas como Elisa Bracher, Fayga Ostrower, Ivan Serpa, Lasar Segall, Lívio Abramo, Maria Bonomi, Oswaldo Goeldi, entre outros. Essa exposição é resultado de uma pesquisa que vem sendo realizada pelo curador Carlos Martins no acervo da Pinacoteca, que conta com mais de três mil gravuras e marca o inicio das atividades sistemáticas, propostas pela Pinacoteca, com foco na produção de gravura no Brasil.

FREDERICO MORAIS é crítico e historiador de arte e curador independente. Exerce a crítica de arte desde 1956, tendo colaborado com artigos e ensaios para jornais e revistas especializadas do Brasil, America Latina, Estados Unidos, Europa e Austrália. No Rio de Janeiro, onde reside, desde 1966, foi titular da coluna de artes plásticas do Diário de Notícias (1966-1973) e O Globo (1975 – 1987). Entre 1962 e 2008 publicou 39 livros sobre arte brasileira e latino-americana no Brasil, Colômbia, México e Cuba, destacando-se, entre outros títulos: “Artes plásticas: a crise da hora atual” (1975), “Artes plásticas na América Latina: do transe ao transitório” (1979), “Chorei em Bruges” (1983), “O Brasil na visão dos artistas – A natureza e as artes plásticas” (2001) e “Marilia Kranz” (2008).

Chegar com 30 min. de antecedênciaEntrada franca.

Visite o Site da Pinacoteca >> 

Newsletter

Assine a nossa newsletter: