Fundação Iberê Camargo

18/06/2013 04:00

Há cinco anos, o Brasil ganhava um importante museu: a Fundação Iberê Camargo (FIC), em Porto Alegre. O local não é só referência para se conhecer a trajetória de um dos mais importantes pintores brasileiros, mas ganha reverências mundo afora. Chama a atenção à beleza de sua sede, projeto do arquiteto português Álvaro Siza Vieira, instalada na margem do Rio Guaíba. Acrescente-se a programação de exposições pautada na busca de excelência.

Nossa missão é divulgar e preservar a obra de um grande artista. Mas o projeto é ser espaço vivo, com atuação abrangente, explica o jornalista Fábio Coutinho, superintendente da FIC. “A fundação é um presente de Maria Camargo, viúva de Iberê, a Porto Alegre e aos brasileiros”. A coleção pessoal da mulher do pintor foi doada para o projeto.

Um dos esteios das atividades da Fundação Iberê Camargo é o setor educativo: ele cuida de cada mostra, inclusive produzindo publicação específica para professores. "Todos os museus deveriam ter como atividade fundamental formar o olhar da nova geração para a arte", afirma Coutinho, defendendo projetos dessa natureza para outras áreas, como literatura, música e cinema. "É oportunidade de se criar visão mais crítica da cultura, do mundo e da vida", reforça.

A programação prevê duas exposições anuais dedicadas à obra de Iberê Camargo. O público pode conferir também quatro mostras temporárias de artistas brasileiros e estrangeiros. As últimas resultaram de intercâmbio com os museus Reina Sofia (Espanha), Torres Garcia (Uruguai), De Chirico e Morandi (Itália). Abrigando tais atividades está um prédio qualificado, que permite a Porto Alegre atrair grandes mostras que passam pelo Brasil. "Assim, criamos a oportunidade de ver coleções incríveis", lembra Fábio Coutinho.

Aberta há cinco anos, a fundação se tornou cartão-postal gaúcho, mas o superintendente evita fazer um balanço dessa atuação. "Já conseguimos muito", observa Coutinho. A fórmula de sucesso não veio de milagres, mas da eficiência na obtenção de recursos, "por meio das leis de incentivo e de patrocinadores que patrocinam mesmo, com doações significativas", explica o superintendente. Planejamento e equipe competente são fundamentais. "Aporte financeiro sem planejamento não resolve. Não há como avançar no que foi projetado se não se conta com uma equipe afinada".

A fundação conta com ateliê de gravura por onde passaram cerca de 80 artistas. Todos desenvolveram projetos acompanhados por técnicos da FIC.

Está em cartaz na Fundação Iberê Camargo a exposição “O carretel” - Meu personagem. Com curadoria assinada por Michael Asbury, a seleção de pinturas, gravuras e desenhos de Iberê Camargo se inspira no objeto, presente em várias obras dele.

As mostras temporárias atuais são: Paulo Pasta“A pintura é que é isto”, com curadoria de Tadeu Chiarelli, e Elida Tessler“Gramática Intuitiva”, com curadoria de Glória Ferreira. Ambas podem ser visitadas até 18 de agosto.

Bolsa Iberê Camargo

Até 31 de julho, jovens artistas brasileiros podem se candidatar a Bolsa Iberê Camargo. O trio selecionado terá direito a residência de dois meses no Museu de Arte Moderna de Bolonha (Itália), no Centro de Arte Contemporânea de Valparaíso (Chile) ou na Kiosko Galeria de Santa Cruz de La Sierra (Colômbia). A bolsa paga a inscrição e taxas de curso, passagem de ida e volta e ajuda de R$ 8 mil. O edital seleciona também um jovem para participar do Programa Artista Convidado do Ateliê de Gravura da FIC. Com duração de uma semana, dá direito a uma ajuda de R$ 2,5 mil.
  • Para mais Informações visite o link do Site Oficial >> (ABAIXO).


FUNDAÇÃO IBERÊ CAMARGO
Avenida Padre Cacique, 2.000, Porto Alegre, (51) 3247-8000. Funciona de terça-feira a domingo, das 12h às 19h. Quinta-feira tem horário especial, das 12h às 21h. Entrada franca.

“Arte, para mim, foi sempre uma obsessão. Nunca toquei a vida com a ponta dos dedos. Tudo o que fiz, fiz sempre com paixão”. (Iberê Camargo, 1914–1994)

Newsletter

Assine a nossa newsletter: