A arte contemporânea segundo Ferreira Gullar

19/04/2013 23:53

fe.jpg

 

Nota da administração do site: Esta é uma entrevista que já não é tão recente, mas que pelo excelente conteúdo e clareza das palavras, se faz justo e necessário o seu compartilhamento e divulgação por todos os meios possíveis; Neste contexto a publicamos aqui!

Interessante matéria do jornalista Ivan Cláudio na "Isto É", que toma como pretexto exposições para levantar questões sobre os rumos da arte contemporânea. Onde discute a dominação cultural e a alienação das vanguardas. Ultimamente o poeta Ferreira Gullar andou despertando polêmicas. Uma das suas obras, "A arte contemporânea brasileira" aborda o problema da crise da Arte, relacionando-o com a sempre complicada relação entre Arte e Mercado.

Segue a entrevista com o Gullar:

O senhor diz que a arte tem que emocionar, caso contrário não é ar­te. No entanto, hoje em dia as pes­soas teorizam tanto a arte...

Ferreira Gullar: existe uma tese da arte conceitual, da arte feita só por ideias. Isso não tem cabimento. Para refletir, preciso ler filosofia, não vou me ocupar do estilo de pintar do Cildo Meirelles para fazer isso. Ele é um excelente pintor, mas por que ele não pinta em vez de fazer o que está fazendo? Coloca escrito na obra "Urinóis – cocô artificial com planta natural". É para pensarmos sobre isso? O que vamos pensar sobre cocôs e plantas artificiais? Isso é muito pobre. Se ele fizesse os guaches que fazia antes, se comunicaria e transmitiria coisas que as pessoas poderiam sentir por meio da arte. Estive agora em Paris e fui ao Museu de Arte Moderna. Só vale pelo acervo de obras realizadas até a dé­cada de 40. Depois disso, nada vale a pena. O museu está vazio, ninguém vai lá. Tinha até uma exposição da Yoko Ono, que só faz besteira também, mas mesmo assim estava vazio. Só está lá porque ficou famosa depois que casou (com o ex-beatle John Lennon). É inacreditável ver os diretores do museu convidando esse tipo de gente para expor. O resultado disso é que ninguém vai lá ver a exposição. Já o Louvre recebe multidões de pessoas, assim como o Museu Picasso...

 

 

Artigo da autoria de Marcelo Vinicius.

É autor. Estudante de Psicologia. Faz parte do projeto de pesquisa e extensão sobre cinema e produção de subjetividade (Sala de Cinema) e do projeto de pesquisa em Psicologia Social na Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS...

 

Newsletter

Assine a nossa newsletter: