BEM-VINDO A UM NOVO UNIVERSO

 

Eu vi... Como uma necessidade vital de sobrevivência a arte se tornar ofício;  Procurando não divagar pelas modas impostas de nossa época que forçam os pintores a se afastarem de suas próprias essências e se perderem nas exigências de uma época perturbadora e de gosto suspeito... Em uma suave melodia lírica e lúdica,  palhaços e mulheres  movem-se livres da  corrupção dos nossos  tempos, ativando o imaginário  em uma visão tão particular quanto universal para a interpretação do mundo.

Interessando sempre a presença sólida da figura humana de um modo todo especial, estilizada em uma síntese gráfica próxima às vezes de uma mistura inimaginável de grafite com vitral, em uma profusão de cores e uma composição que combina cenas da vida contemporânea e visões de um universo próprio... Com personagens em cenários estranhos e poéticos, produzindo assim uma realidade onírica bastante perturbadora; Bem vindo à metafísica.

Mantendo-se em uma busca incansável pela magia do fantástico, espera-se elevação acima de simples fatos, transmitindo a vivência mágica que se encontra além da realidade, de maneira que esta visão seja mostrada por meio da  realidade, mas de modo algum limitada por ela... Um impulso criativo que desafia as formas de arte convencional mediante conceitos imaginosos sem estar totalmente livre de convenções e regras estéticas... E acima de tudo nunca se esquecendo de: Teorias não devem querer explicar a força de uma obra;

Assim eu vejo.                                                                                                                                                                                          Camila Bevilacqua